Saturday, March 31, 2007

Faixa 7. Malice Mizer | Final

Para finalizar a semana sobre Malice Mizer, deixo aqui uma pequena lista de links de onde podem tirar mais informação. É de facto uma banda boa de se ouvir e de se ver, claro, mas tanta excentricidade pode trazer alguns desvantagens. Não se admirem se, as pessoas olharem um pouco de lado por vos verem a ver vídeos de Malice Mizer, como já me aconteceu a mim, principalmente nos comboios!!

Site oficial

Neste site existem imensos links, o que não vale a pena estar a colocar aqui todos... basta irem lá e clicar.


Líricas das músicas.

Vídeos

Beast of Blood, Era de Klaha

Gardenia, Era de Klaha

ILLUMINATI, Era de Gackt

Regret, Era de Gackt


OK, não vou estar aqui a enumerar as dezenas de vídeos que se podem encontrar sobre Malice Mizer, acho que se realmente estão interessados, mãos à obra. Existem toneladas de informação sobre MM, eu apenas quis dar algumas dicas para o vosso bem. Não se preocupem, não morrem se experimentarem ouvir...

Cumprimentos, Daniel Bento

Trabalho elaborado por Daniel Bento

Faixa 6. Malice Mizer | Produções

Como podem ver, a colecção de álbuns de Malice Mizer não tão grande quanto poderia ser esperado, mas por outro lado, a quantidade de trabalho que desenvolveram, como singles, VHS e DVD’s mostram que de facto, eles nunca estiveram parados.

Demonstrações:

Sans Logique (31 Outubro 1992)

SADNESS / SPEED OF DESPERATE (1993)

Sadness (5 Abril 1993)

The 1th Anniversary (12 de Outubro 1993)

Singles:

麗しき仮面の招待状 [Uruwashiki kamen no shoutaijou] (10 Dezembro 1995)

ma chérie ~愛しい君へ~ [ma chérie ~itoshii kimi e~] (10 Outubro 1996)

ヴェル・エール ~空白の瞬間の中で~ [Bel Air ~Kuuhaku no shunkan (toki) no naka de~] (19 Julho 1997)

au revoir (3 Dezembro 1997)

月下の夜想曲 [Gekka no yasoukyoku] (21 Fevereiro 1998)

ILLUMINATI (20 Abril 1998)

Le ciel ~空白の彼方へ~ [Le ciel ~Kuuhaku no kanata e~] (30 Setembro 1998)

再会の血と薔薇 [Saikai no chi to bara] (3 Novembro 1998)

神話 [Shinwa ~Kami's Memorial Box~] (1 Fevereiro 2000)

虚無の中での遊戲 [Kyomu no naka de no yuugi] (31 Maio 2000)

白い肌に烂う愛と哀しみの輪舞 [Shiroi hada ni kuruu ai to kanashimi no RONDO] (26 Julho 2000)

Gardenia (30 Maio 2001)

Beast of Blood (21 Junho 2001)

Garnet ~禁断の園へ~ [Garnet ~Kindan no sono e~] (30 Novembro 2001)

Albuns:

memoire (24 Julho 1994)

memoire DX (24 Dezembro 1994)

Voyage sans retour (7 Junho 1996)

merveilles (18 Marco 1998)

薔薇の聖堂 [Bara no Seidou] (23 Agosto 2000)

VHS:

Sans retour Voyage "derniere" encoure une fois (30 Junho 1997)

ヴェル・エール ~空白の瞬間の中で~ de l'image [Bel Air ~Kuuhaku no shunkan (toki) no naka de~ de l'image] (13 Julho 1997)

ヴェル・エール ~空白の瞬間の中で~ de l'image [Bel Air-Verte Aile ~Kuuhaku no shunkan (toki) no naka de~ de l'image] (3 Setembro 1997)

merveilles ~終焉と帰趨~ l'espace [merveilles ~Shuuen to kisuu~ l'espace] (28 Outubro 1998)

merveilles -cinq parallele- (24 Fevereiro 1999)

再会の血と薔薇 de l'image [Saikai no chi to bara ~de l'image~] (21 Dezembro 1999)

虚無の中での遊戲 de l'image [Kyomu no naka de no yuugi ~de l'image~] (31 Maio 2000)

薔薇に彩られた悪意と悲劇の幕開け [Bara ni irodorareta akui to higeki no makuake] (22 Novembro 2000)

薔薇の軌跡 [Bara no kiseki] (25 Abril 2001)

Beast of Blood de l'image (11 Julho 2001)

薔薇の婚礼 ~真夜中に交わした約束~ [Bara no konrei ~Mayonaka ni kawashita yakusoku~] (22 Março 2002)

DVD:

薔薇に彩られた悪意と悲劇の幕開け [Bara ni irodorareta akui to higeki no makuake] (22 Novembro 2000)

Sans retour Voyage "derniere" encoure une fois (18 Abril 2001)

薔薇の軌跡 [Bara no kiseki] (25 Abril 2001)

Beast of Blood de l'image (11 Julho 2001)

真夜中に交わした約束 ~薔薇の婚礼~ [Mayonaka ni kawashita yakusoku ~Bara no konrei~] (30 Outubro 2001)

Cardinal (6 Fevereiro 2002)

薔薇の婚礼 ~真夜中に交わした約束~ [Bara no konrei ~Mayonaka ni kawashita yakusoku~] (22 Março 2002)

merveilles ~終焉と帰趨~l'espace [merveilles ~Shuuen to kisuu~ l'espace] (30 Março 2002)

merveilles -cinq parallele- (30 Março 2002)


Trabalho elaborado por Daniel Bento

Thursday, March 29, 2007

Faixa 5. Malice Mizer | Músicos

Pode parecer estranho, mas preferi deixar as referências à história de Malice Mizer e os seus músicos mais para o fim. Porquê? Simples... Preferi dar destaque ao conhecimento do que produzem e depois então falar de quem são. Primeiro aumenta muito mais a curiosidade, depois é algo que já estamos habituados no quotidiano. Como por exemplo, provar um bolo... geralmente provamos, apreciamos e no fim perguntamos do que é feito... Porquê? Se perguntássemos primeiro do que era feito talvez os nossos sentimentos pelo sabor seriam diferentes porque, sabíamos os ingredientes que iriamos comer, e muitas das vezes até acontece simplesmente nem comer.

Malice Mizer, como já foi dito atrás, nasceu nos inícios dos anos 90. Tenho a sensação que talvez a 12 de Outubro de 1992. É impossível de todo dizer quando uma banda começa... mas estipulei esta data por observação das datas das cassetes de demonstração, em que uma foi lançada a 12 de Outubro de 1993 com o nome de 1th Anniversary (1º Aniversário). A banda nasceu ora nem mais nem menos por acção de Mana e de Közi. Tetsu entrou para vocalista, Mana e Közi ficaram responsáveis pelas guitarras e sintetizadores, Yu~ki era baixista e Gaz baterista. De Gaz e Tetsu, pouco ou nada se sabe do seu passado (pelo menos que eu tenha encontrado). Dos outros três sabe-se pouco mais, mas isso acho que não vem à questão. Deixo essas curiosidades para vocês. Apenas quero referir que antes dos Malice Mizer, Mana e Közi estavam na mesma banda.

Como já foi referido, Mana representava a parte feminina da banda, Közi era o fantoche “de vermelho”, cor preferida dele, Yu~ki geralmente era vampiro. Tetsu e Gaz também entravam, mas as suas devido às posições que ocupavam, para Gaz era muito complicado encenar qualquer tipo de teatro. Tetsu, tinha-se de adaptar as letras que cantava.

Na Era de Gackt, as personagens continuavam as mesmas, mas Gackt passou a ser normalmente o herói (é visto em merveilles como um anjo por exemplo). Kami que tinha entrado já na Era de Tetsu, era baterista, mas poucos meses após a partida de Gackt da banda, morreu.

Pela Era de Klaha, as coisas complicaram-se, entrava e saiam várias pessoas. Klaha era amigo de Yu~ki e fan dos Malice Mizer, acabou por ser vocalista nos últimos tempos da banda. Normalmente ele representava um Drácula.

Oficialmente a banda terminou em 2001... Infelizmente do ponto de vista criativo, felizmente porque hoje orgulho-me de ter conhecido Visual Kei através deles!

Trabalho elaborado por Daniel Bento

Wednesday, March 28, 2007

Faixa 4. Malice Mizer | Imagem

Durante os dez anos de existência dos Malice Mizer, que a banda mostrou de facto aquilo que o Visual Kei pretende ser. Não se limitaram a “tocar música” com uns fatos extravagantes vestidos, mas fizeram da música também algo extravagante e completamente diferente do habitual. Como qualquer outro estilo, as influências foram muitas. Mas a mensagem foi única. Tenho a certeza que muitos de vós dariam tudo por ver um concerto dos Malice Mizer, eu próprio daria, mas quando “descobri” o J-Rock e particularmente o Visual Kei, já esta banda não existia fisicamente. Mas é impressionante como o seu nome ainda está presente na mente de todos quanto a conhecem esperando que algo semelhante volte a aparecer. Acreditem ou não, foi Malice Mizer que me levou ao mundo do Visual Kei, apesar da primeira banda de J-Rock que ouvi ter sido Dir en Grey, constatei que esta já tinha abandonado o Visual Kei há muito tempo, por outro lado, o projecto solo do Mana (Moi dix Mois), mostrou-se ser um Visual Kei muito daquilo a que podemos chamar “leve”, pelo menos para mim que já conheço coisas mais “pesadas”.

Na Era de Tetsu somos levados a belos vestidos clássicos, misturados com uma cultura neo-clássica... O que nos remota aos tempos franceses medievais. O que acompanha, de certo modo, o estilo de som que nessa época eles transmitiam. Na Era de Gackt, inicialmente continuou-se com os estilos clássicos, mas Mana, líder e fundador (em conjunto com Kozi) da banda, decidiu apostar num estilo mais pesado e progressivo, o que exigia muito mais na apresentação que faziam. Apesar disto, é nesta Era que assistimos a determinados momentos históricos como mudanças de elementos totalmente pesados e mortíferos, para comédias e teatro. Ao contrário destas duas Eras, a Era de Klaha, foi a que digamos mais se aproxima da actual banda Moi dix Mois. Na minha opinião, penso que o Mana quis preservar um pouco a memória que todos temos dos Malice Mizer. Não mudando drasticamente o estilo de imagem que apresenta, mas melhorando em muito o vestuário e adequando-se muito mais à época em que estamos. Na Era de Klaha ainda é possível ver alguns Vídeo-Albuns com algum vestuário clássico, mas nada que seja proveniente de séculos antes, mas sim do próprio século XIX e XX.

Algo que eu sempre adorei e passei a “amar”, foi monólogos/diálogos simultâneas com músicas que antigamente eram tocadas em orgãos (daqueles com os tubos gigantes) e que hoje são sintetizados. Isto é algo que se vê muito com Klaha, mas não era da música que queria falar, mas sim das imagens que nos mostram. Somos presenciados, talvez com o que a maioria das pessoas julga ser algo do demónio... algo que nunca deveríamos ver... dado que somos confrontados com uma colectânea bastante composta e bem feita com elementos religiosos, feitiçaria, entre outros, ou seja, a tradicional imagem gótica que muitos adoram e outros nem tanto.

Por mais espantoso que seja, os efeitos visuais nestes vídeos são bastante mais bem feitos que a maioria dos filmes que conheço. Vide filmes de terror como o The Grudge que são autênticas comédias.

Outro ponto engraçado de saber, é que os músicos com o passar dos anos, encararam de tal forma as personagens que representam, que tudo passou a ser algo natural da sua vida mundana. O Mana, merece algum destaque, talvez porque ele seja a pessoa que mais chama a atenção dentro da banda por várias razões... Entre as quais o facto de ser ele que representa a parte feminina dos Malice Mizer (e agora dos Moi dix Mois) e, se estão a ler este texto, certamente já devem saber que a personagem que um músico representa na banda em Visual Kei é totalmente independente da sua vida do quotidiano. Isto é, não é por causa do facto de se vestir de rapariga que, passa a ser “tudo e mais alguma coisa”, como aqui pelas nossas bandas se gosta de classificar. Mas sinceramente, ainda gostava de descobrir porque foi ele a pessoa a fazê-lo. Bem, se formos a analisar, é a pessoa que melhor fica como rapariga. Outro facto engraçado, é que depois de 1993, podem-se contar pelos dedos de uma mão o número de vezes que ele falou para o público. Simplesmente não fala, faz gestos ou, fala ao ouvido do vocalista para este falar. É deveras surpreendente como se consegue manter esta imagem por quinze anos.

Trabalho elaborado por Daniel Bento

Tuesday, March 27, 2007

Faixa 3. Malice Mizer | Áudio

Como referi nos artigos anteriores, Malice Mizer foi uma banda que nasceu para surpreender. Desde os seus primeiros anos de existência que nos mantem o ouvido aberto e espantado. Pensando num exemplo estranho, a música nos Malice Mizer evoluiu tanto quando a população evoluiu em milhares de anos. Desde os primórdios da sua existência que produzem álbuns que são um tanto ou quanto polémicos.

Começamos a viagem pelos Memoire (e pouco mais tarde Memoire DX com uma faixa bónus), o primeiro álbum editado pela banda, ainda Era de Tetsu (é de frisar que nesta época só produziam singles e mesmo nas seguintes, os MM não lançaram muitos álbuns). Neste álbum é possível encontrar facilmente as várias influências do gótico dos meados dos anos 80, rock e algumas influências clássicas (vide Imagem no artigo seguinte). Provavelmente não terá sido por causa do som que nesta época a banda cresceu tanto, mas sim pela imagem que davam. A verdade é que nos últimos anos torna-se difícil ser original no que se trata a fazer música. Os estilos já são mais que muitos e para uma banda se lançar, tem que o fazer de uma forma bastante forte e agressiva. Na minha opinião, penso que os Malice Mizer pegaram no conceito de Visual Kei e levaram-no ao extremo e deu o resultado maravilhoso que vimos. É possível reparar que a voz de Tetsu encaixa nas músicas de uma forma muito suave, isto é, o volume de som entre vocal e instrumentos está bastante alinhado, o que por vezes faz com que a letra nos escape e assim focamos mais atenção na melodia. Tem vantagens e desvantagens... A vantagem é que possibilita ao ouvinte um maior desfrute da música como um todo, percebendo muito melhor a melodia em que a música se insere, mas por outro lado, a letra foge e torna-se mais complicado perceber o que se quer transmitir vocalmente.

Para muitos a Era de topo dos Malice Mizer, foi a Era de Gackt, existem várias curiosidades sobre este indivíduo que vale a pena procurar. E foi a Era onde lançaram mais álbuns... dois! Voyage e merveilles (que também há em versão vídeo). O estilo de música, apesar de variar dentro das mesmas Eras, nesta Era mudou radicalmente, o Mana apostou em estilos mais pesados, por outro lado o Gackt queria também algo mais romântico. Podemos dizer que nasceu assim uma mistura interessante como, heavy metal com gothic metal, gothic rock, clássica, electrónica e progressiva. De modo algum se pode dizer que isto é uma mistura de Deus, porque não é... É mesmo uma mistura dos Diabos que faz explodir qualquer um de alegria! Ninguém imaginaria como estilos, que não têm relação, aparecem aqui de uma forma tão descomunal. A voz do Gackt é mais forte que a de Tetsu, mas ao mesmo tempo mais lisa. Nestas músicas, ao contrário da Era de Tetsu, a voz soa mais forte que a própria música, existe claramente uma distinção de planos. Estamos assim numa fase arrasadora, em que a imagem compensa a sonântica e a letra compensa todo o trabalho desenvolvido para transmitir as mensagens que pretendem.

OK, na Era de Klaha, produziram apenas um álbum. Vocês devem estar a pensar “Mas que raio de banda que produz tão pouco??”... Ao qual eu respondo “Antes pouco e com qualidade do que produções em série!”... A cada passo vemos a originalidade crescer. E se a Era de Gackt mudou tudo, então a Era de Klaha mudou radicalmente o rumo da música de Malice Mizer. Os sons neoclássicos embelezam cada música tocada, a voz de Klaha bastante mais forte, um sotaque russo quando fala inglês. As letras bastante mais fortes, menos músicas divertidas, mas mais músicas para subir os estímulos auditivos. Os sons Pop que Gackt introduziu desapareceram completamente... As músicas passaram a transmitir mensagens fortes e dramáticas. Mas Malice Mizer não ficou por apenas quatro álbuns em toda a carreira... Foram inúmeros os singles que produziram, foram inúmeros os DVDs e as versões VHS.

Podemos dizer que começaram bem e acabaram bem. Mantiveram-se sempre no topo da originalidade. Nunca deixando margens para rip offs do próprio som que faziam. Por mais parecidas que as músicas sejam, há sempre qualquer coisa lá que nos faz mudar de opinião!

Trabalho elaborado por Daniel Bento

Monday, March 26, 2007

Faixa 2. Malice Mizer | Essência

Uma coisa importante que as bandas têm é... adivinhem.... transmitir som... Ora, uma banda que não tem som que se aproveite não tem ouvintes e acaba por cair no esquecimento. Mas Malice Mizer não nos deu só e apenas som... deu-nos muito mais que isso... deu-nos imagem e deu-nos divertimento. Habitualmente, as bandas de Visual Kei, mostram-nos um “look” completamente fora do conceito natural que estamos acostumados. MM conseguiu dar-nos mais que isso com os seus vários e famosos concertos (e Vídeo Álbuns). Podemos pegar no exemplo do Vídeo Álbum “Merveilles” na Era de Gackt (mais tarde explicar-vos-ei porque há Eras nesta banda), é formidável reparar que nas primeiras músicas a probabilidade de ficar colado a cadeira e pensar “onde é que eu me meti?” é muito grande, mas em algumas outras músicas mais para o fim do Álbum a vontade de rir não passa! Dado que temos coisas como o Mana a andar de trotinete pelo palco, Gackt a querer desmanchar-se a rir, entre outros.

É difícil procurar um estilo bastante definido em Malice Mizer, apesar de que em cada Era haviam bases musicais especificas, o género de som pode variar a uma velocidade incrível e, é fácil ver isso em qualquer álbum.

Existiram 3 Eras em Malice Mizer, sinceramente não sei qual definir a melhor, na primeira Era, a Era de Tetsu (as Eras mudam de acordo com a mudança de vocalista), temos clássicos bastante bons, influências de rock e gothic rock dos anos 80. A voz de Tetsu é boa, a combinação de sons também inclusive bastante piano, que é algo que eu aprecio bastante. Na segunda Era, Era de Gackt, temos músicas como Illuminati, que... sinceramente... é das melhores que ouvi! Combina essências bastante boas de sons sintetizados, sons clássicos e o vídeo é de chorar por mais, a voz do Gackt é muito suave e precisa. É nesta Era que é lançado o Vídeo Álbum, Merveilles em que assistimos a um solo entre Gackt no piano e Kami na bateria, que na minha opinião deita abaixo qualquer teoria que diz que não temos pianistas como Beethoven. Por último, tivemos a Era de Klaha, uma entrada e mudança de rompante... Os estilos leves desapareceram, o gothic voltou, com misturas de heavy metal e música clássica... não me perguntem porque, mas.... acho que nunca vi combinação melhor nem uso melhor para música clássica! É aqui que surgem músicas como Beast of Blood. A voz do Klaha é muito boa, e o seu inglês com um toque (a meu entender) russo, dão-lhe uma diferença muito estimulante para quem ouve Malice Mizer.

Durante as três Eras de MM é possível destacar algumas músicas, vídeos ou concertos. Falarei dos maiores destaques nos artigos seguintes. Ao contrário do que acontece com muitas bandas, não é fácil dizer “isto é de MM” ou, “isto não é de MM”, tal a dimensão de músicas que encontramos.


A utilização de figurantes “fortes” nos vídeo-clips, ao contrário de se exporem sobretudo a eles mesmo, dá decerto, outro tipo de talento. Os figurantes acabam por ser personagens na pequena história que a música nos envolve.

Trabalho elaborado por Daniel Bento

Sunday, March 25, 2007

Faixa 1. Malice Mizer | Introdução



Choque, susto, medo, doidos, psicadélico, drogados ou mais habitualmente “tu gostas disto?”, são expressões bastante comuns aqui pelo ocidente quando se vê por alto a carreira desta banda.

Sim, estou a falar dos Malice Mizer. É errado tirar o mérito de “criador” do movimento Visual Kei aos X-Japan, mas por outro lado, não podemos tirar o mérito de considerar esta banda, uma das mais polémicas e brilhantes no mundo do Visual Kei em toda a sua história.

Tal como a maioria das bandas de Visual Kei, ou talvez a maioria como Malice Mizer, alternam o estilo de música a cada passada que dão. Apesar de muitas estarem dentro da mesma “categoria”, se é que podemos dividir as músicas em categorias, de tão complexas que são. Uma vez que isto é apenas uma texto de introdução sobre MM (abreviatura), não vou aprofundar muito. Nem convém aprofundar, dado que é sempre bom deixar a ponta do véu à vista para que vós tendes a possibilidade de explorar e descobrir.

Malice Mizer nasceu em meados dos anos 90 (década de 90 do século XX). Desde cedo que optaram por uma mistura bastante grande de sons e de imagem, o que lhes deu um grande impulso para a meta seguinte. Ainda me lembro quando ouvi as primeiras músicas e depois vi os primeiros vídeo-clips, acreditem, eu mesmo duvidei da minha existência. Não foi a primeira banda de J-Rock que alguma vez ouvi, também não foi a segunda, mas sim, foi a terceira e acreditem, acho que não ter sido a primeira teve grandes vantagens... Primeiro porque não apanhei um choque tão grande, uma vez que já tinha ideia do que era Visual Kei; segundo, porque ainda me deu mais vontade de conhecer mais músicas, vídeos e bandas.

O primeiro vídeo que vi dos Malice Mizer foi o clip da música Beast of Blood no YouTube.com, nunca pensei que iria ficar tão pegado pelos movimentos clássicos, futuristas e simultaneamente misturados de todo o clip.

Como apreciador profundo de vários estilos de música, mas sendo ao mesmo tempo muito selectivo naquilo que gosto e não gosto numa música, é de espantar que não haja uma música que eu diga que gosto menos do que outra. Todas me soam bem ao ouvido, todas me fazem querer ouvir outra vez. Para conseguirem ter uma ideia geral, a música Beast of Blood consegue ter elementos de gothic rock, gothic metal, nu metal, drumbs and bass, entre outros, misturados. Mistura elementos clássicos das músicas que há vários séculos nós chamávamos “música de igreja” (e ainda hoje se chama), com estilos modernos, de sons criados sinteticamente. A combinação é bastante boa, principalmente para os amantes de adrenalina. Sim, nesta música é possível ter vários saltos de produção de adrenalina no corpo, pelo menos eu, senti isso.

Quanto ao visual que esta banda transmite... Acho que não há meias palavras para descrever. Há mudanças radicais de Era para Era, de ano para ano, de música para música, ou até mesmo dentro da mesma música. Os que gostam de interpretar aquilo que veem ocultando o que ouvem (como a letra da música), experimentem fazê-lo com esta banda e, verão que irão chegar as mais diversas conclusões sobre o que se pretende transmitir, muitas vezes, até mesmo as ideias mais bizarras são possíveis.

Infelizmente, esta banda encerrou a sua actividade em 2001, altura em que cada elemento prosseguiu carreira solo. Mas não é possível falar em J-Rock/Visual Kei sem mencionar os Malice Mizer. Talvez mesmo tenha sido melhor a banda ter acabado ao fim de quase 15 anos de existência, dado que desta maneira, ficou gravado na nossa memória o melhor que tiveram para dar e deram, ao contrário do que acontece com muitas bandas que insistem em continuar e acabam “mortas” e esquecidas...

Nos próximos artigos irei entrar em mais detalhe sobre vários aspectos desta banda, para todo o caso, tenho uma semana por minha conta.

Trabalho elaborado por Daniel Bento

Saturday, March 24, 2007

Faixa 7. Miyavi | Estilos

Quem conheçe o Miyavi pode ver que atravessou por uma série de mudanças de visual, não fosse o nosso menino eclético, sempre à procura maneiras de sentir-se melhor com ele mesmo e a sua maneira de ser.

Sempre que o quer, muda a cor e corte de cabelo, de acordo com o seu estado de espírito,
parecendo
ter saído de uma revista (não fosse ele quem é XD).


Estilo #1 : Visual Kei

Este é um movimento musical que surgiu no Japão lá para a década de 1980. Tinha como finalidade transmitir ao público que as pessoas deviam dar mais importância a habilidades inatas e recursos do coração e mente para entreter a si mesmos e aos outros, já que pensam que a dependência da TV, computadores, aparelhos de comunicação, e de uma colecção de dispositivos de entretenimento, fez com que o ser humano perdesse o contacto com suas habilidades e com o alcançar o coração dos outros através da expressão artística (XD mãe do céu...lol).

Cada membro expressa os seus sentimentos ou fantasias compostos pela música através de cabelos pintados e penteados de forma extravagante, roupas, maquilhagens, acessórios, encenações trágicas/dramáticas, recorrendo muitas vezes ao simbolismo para ter uma ideia do que eles queriam representar. Tudo é pensado cuidadosamente antes de lançarem um single/álbum.

Na sua vida privada não usa nada que esteja relacionado com a sua música, aparentando estilos de roupa usados pela sociedade seja que estilo de moda for. No Japão, a maioria que vai assistir espetáculos de bandas Visual Kei são mulheres.

Os ocidentais muitas vezes confundem bandas Visual Kei com bandas góticas por causa da maquilhagem e da roupas às vezes similar, mas a maioria dos góticos japoneses não consideram Visual Kei como gótico, e há pouco contacto cultural entre fãs de Visual Kei e góticos japoneses.

O Visual Kei é um estilo sempre em expansão. Muitas das bandas estão a começar a tocar fora do Japão.

Bandas como Dir en grey (apesar deste não fazer mais parte do movimento Visual kei), MUCC, Moi dix Mois, D'espairs Ray, An Cafe etc, fizeram tours pela Europa.

Algunsexemplos do estilo Visual Kei de Miyavi






Estilo #2 : Oshare Kei

O que pode dizer sobre este estilo, tanto quanto se sabe, é um sub-estilo do estilo Visual Kei que começou a aparecer no Japão por volta de 2001. “Oshare” significa “estiloso ou “na moda”, a tradução mais literal é “consciente da moda”.

Este estilo usa um leque mais abrangente de cores, com tons mais alegres, e um uso maior de acessórios (ás vezes excessivo XD), e também foi incorporado neste estilo roupa de streetwear japonesa.

Alguns exemplos do estilo Oshare Kei de Miyavi











Estilo #3 : Penteados

Umas vezes tá comprido, outras cuerto, outras rapado de um lado, outras rapado de outro, às vezes parece uma papagaio com o cabelo às cores (XD), outras vezes está ora moreno, ora ruivo, ora loiro... o que interessa é que todo o santo penteado que este rapaz decide fazer, lhe fica bem (ou quase todos XD)

Aqui fica uma pequena amostra dos vários penteados que passaram pela cameça do Miyavi.























Espero que tenham gostado do artista desta semana, pois eu adorei todo o trabalho que tive para fazer toda esta informação chegar a vocês.

Trabalho elaborado por Lenne

Friday, March 23, 2007

Faixa 6. Miyavi | Lyrics



Vou deixar aqui três letras das suas músicas mais conhecidas, e também das minhas preferidas. Mas não se preocupem porque não é nada difícil conseguir descobrir as letras dele. Se quiserem mais, visitem o site lá encontrarão uma lista de letras completa.


Itoshii Hito (beta De Suman) Lyrics

itoshii hito...nakanaide, warattemisete
namida ga mitakute "suki" tte itta n ja nai n da yo?

(dakara...dakara...)*

itoshii hito...daijoubu, sabishiku nanka nai deshou
datte anata ga sabishii toki, bokumo sabishii n da yo?

(usobi...usobi...)**


itoshii hito...tojita me wa, mada akecha dame da kanne
sono mama...sono mama...tte necha dame da yo.

itoshii hito

"anata no tame nara shineru" ja nakute "anata no tame ni ikiru" koto ni shita yo
mochiron anata mo goissho ni.
kono saki mo, sono saki mo.


motto anata*** aishite yari na yo, boku wa sono amatta bun de ii kara.

itoshii, itoshii hito

tatoe umarekawatta toshitemo, boku wa "kono" boku de iru kara anata mo "sono" anata de itene.
soshite, mata onaji koto**** iu n da.
zutto, zuutto.


itoshii hito...yukkuri sono me akete goran yo.
itsumo to onaji deshou?

sore de ii n da yo.


We Love You Lyrics

Tatoeba sou, moshi dareka ni dakishimete hoshii yoru wa,
mazu kimi ga soba ni iru hito wo sotto [GYU]ttoshite agereba ii.

Sou da na, moshi karini kimi ga dareka ni koishita toshite,
sono hito no taisetsu na hito nara kimi mo aiseru koto deshou?


Sou, itsudemo bokura wa dokoka de tsunagatteru, nee

Dakara
We love you,
sekai wa kimi wo aishiteru.

Donna ni tsukutemo "anata ga soko ni iru" to
kokoro ni sou omoeru dake de fushigi to ganbareru n'dayo


We love you,
hora sekaijuu ja
We love you,
ima kono shunkan mo
We love you,
dareka ga dareka wo
We love you,

aishiteru.

Sou sa
We love you,
sekai wa kimi wo aishiteru.


Dakara daijoubu, kimi wa kimi no mama de, sono no mama de.

Everyday, we love you!!
anytime, we love you!!


Yappari Megumi Ga Suki Lyrics

Kimi wo aishiteru,
Zutto aishiteru.
Ima nara sunao ni ieru
“...Kimi ga suki.”

Kimi no massugu na tokoro,

Hikareru no wa boku ga hine kurete iru kana?
Aa, boku wa itsumo ki ga dukeba
Wagamama bakkari icchatteru ne

Anime wo mitari, akiba aruitari,
Asa gata kaette kitari...gomen ne?

Kimi wo aishiteru,

Zutto aishiteru.
Ima nara sunao ni ieru
“...Kimi ga suki.”

Kimi wo mamoritai yo,
Zutto hanasa nai yo.
Ima nara sunao ni ieru
“...Kimi ga suki, zutto suki, kimi ga suki.”

Trabalho elaborado por Lenne

Thursday, March 22, 2007

Faixa 5. Miyavi | Discografia 2

Hoje é feita uma análise detalhada dos albuns e singles, onde será apresentada a descrição das músicas que aparece em cada, album e singles e capas.

Singles

[2002.11.30] Shinde mo Boogie-Woogie (死んでもBoogie-Woogie)

1. Shinde mo Boogie-Woogie
2. Shoukyo to Sakujyo


[2002.11.30] POP is Dead

1. POP is Dead
2. Yameteyo Shite Sawaranaide

[2002.12.18] Jingle Bell (ジングルベル)

1. Jingle Bell
2. Happi Endo No Uta
3. Ashita Tenki No Naare

[2003.16.04] Jibun Kakumei -2003- (
自分革命-2003-)

1.Jibun Kakumei -2003
2. Eccentric Otanabyo
3. Sugeemae Muki Nauta

[2003.25.06] Tariraritarara (タリラリタララ♪)

1. Tariraritarara
2. Shindemo -Boogie Woogie- (live)
3. Pop is Dead (live) + Miyavi's Guitar Solo

[2003.09.03] Coo quack cluck -Ku.Ku.Ru- (Coo quack cluck-ク・ク・ル-)

1. Coo quack cluck -Ku.Ku.Ru
2. Komoriuta Ken Love Song
3. Merry Kanshimimasu Death


[2004.06.23] Ashita, Genki ni Naare. (あしタ、元気ニなぁレ。)

1. Ashita, Genki ni Naare
2. Fuminshou no Nemurihime
3. Itoshii nin (beta Desuman)

[2004.10.20] Rock no Gyakushuu -Super Star no Jouken- (ロックの逆襲 -スーパースターの条-)

1. Rock No Gyakushuu
2. 21 Seikigata Koushinkyoku

[2005.05.04] Freedom Fighters -Icecream wo Motta Hadashi no Megami to, Kikanjuu wo Motta Hadaka no Ousama- (Freedom Fighters -アイスクリームを持った裸足の女神と、機関銃を持った裸の王様-)

1. Freedom Fighters
2. Shouri no V-ROCK!!
3. Freedom Fighters -instrumental

[2005.10.12] Kekkonshiki no Uta ~Kisetsu Hazure no Wedding March~ (結婚式の唄~季節はずれのウェディングマーチ~)

1. Kekkon Shiki No Uta -with BAND ver.
2. Are you ready to ROCK
3. Ashita, No Tenki ni Nare - dokusou

[2006.01.18] Señor, Señora, Señorita (セニョール ニョーラ セニョリータ)

1. Senor Senora Senorita
2. Gigpig boogie
3. yappari Megumi ga suki

[2006.04.12] Dear my friend / Itoshii hito (Dear my friend / 愛しい人)

1. Dear my friend -Tegami wo Kakuyo
2. Itoshii Hito (beta Desuman.) -2006 ver.
3.
Kimi ni Funky Monky Vibration – Dokusou

[2006.07.05] Kimi ni Negai Wo (君に願いを)

1. Kimi ni negai wo



Álbuns

[2002.10.31] Gagaku(【雅楽】-gagaku-)

  1. 二十歳杵日 -Peter Pan syndrome- [Hatachi Kinenbi -Peter Pan syndrome-]
  2. Coin Lockers Baby
  3. クサレ外道へ -Son of bitch- [Kusare Gedou he -Son of Bitch-]
  4. Night in girl
  5. Girls, be ambitious
  6. Oresama Shikou
  7. Gariben rock
  8. 音符の手紙 [Onpu no Tegami]
  9. 植物 [Shokubutsu Ningen no theme]
  10. Dear From ...xxx (DLQ cover)

[2003.12.02] Galyuu (-galyuu-)

  1. "(無題)" [No Title][instrumental]
  2. "一匹狼論" [ippiki ookami ron]
  3. "エキセントリック大人病~くそ餓鬼ver." [ekisentorikku otona yamai(kuso gaki ver)]
  4. "エキセントリック大人病~く" [ekisentorikku otona yamai]
  5. "雇われの身のブルース" [aa Kanashiki ka na yatoware no mi no blues]
  6. Coo quack cluck-ク・ク・ル-~おれさまver.]] [coo quack cluck - ku ku ru(oresama ver.)]
  7. "(無題)" [No Title][instrumental]
  8. "常勝街道" [Joushou Gaidou]
  9. "試験管ベイビー" [shikenkan baby]
  10. "おっさんおっさん俺なんぼ" [ossan ossan ore nanbo]
  11. "あしタ、天気ニなぁレ。~どしゃ降りver." [ashita, tenki ni naare. ~doshaburi ver.]
  12. "あしタ、天気ニなぁレ。" [ashita, tenki ni naare]
  13. "トメとジュリー" [tome to juri]
  14. "ボーナストラック" [bonus track][Requiem (Due le Quartz cover)]

[2005.06.01] Miyavizm (-miyavizm-主義)

  1. "好っきゃねんMYV~MYVマン公式応援歌~(前編)" "Sukkyanen MYV" ~MYV Man Koshiki Oenka~ (Zenpen)
  2. "恋はプッシュホン♪" "Koi wa Push Phone"
  3. "ビバビバビバップ~人生,泣き笑い~" "Viva Viva Bebop" ~Jinsei, Nakiwarai~
  4. "ポップンロール甲子園(ベースボール)" "Pop 'n Roll Koshien (Baseball)"
  5. "阿呆祭-アホまつり-" "Aho Matsuri"
  6. "さいさいさいならByebyebye(featuring PSY)" "Sai sai sainara Bye bye bye" - featuring: PSY
  7. "雨に唄えば~ピチピチチャプチャプランランブルース~" "Ame ni Utaeba" ~Pichi pichi chapu chapu ran ran Blues~
  8. "ROCK‘N’ROLL IS{NOT}DEAD(邦題:ロックンロールは眠らない)" "ROCK'N'ROLL IS 'NOT' DEAD"
  9. "♂パパママ♀~望まれヌBaby~" "Papa Mama" ~Nozomarenu Baby~
  10. "好っきゃねんMYV~MYVマン公式応援歌~(後編)" "Sukkyanen MYV" ~MYV Man Koshiki Ouenka~ (Kohen)
  11. "シェークスピアにささぐ" "Shakespeare ni sasagu" (bonus track)
  12. "Freedom Fighters"

[2006.08.02] MYVPOPS

  1. Are You Ready To Rock? -rhythm Battle Mix-
  2. 結婚式の唄 -with Band Ver.- [Kekkonshiki no Uta -with Band Ver.-]
  3. セニョール セニョーラ セニョリータ [Senor Senora Senorita]
  4. Gigpigブギ [Gigpig Boogie]
  5. Dear My Friend -手紙を書くよ- [Dear My Friend -tegami wo kaku yo-]
  6. 愛しい人 (ベタですまん。) -2006 Ver.- [Itoshii Hito (beta desuman) -2006 Ver.-]
  7. 君に願いを [Kimi ni negai wo]
  8. We Love You ~世界は君を愛してる~ [We Love You ~Sekai wa kimi wo Aishiteru~]
  9. ピースサイン [Peace Sign/Piisusain]
  10. 俺達だけのファイティングソング (通称: ネバギバ) [Oretachi dake no Faitingusongu (Tsuushou: Nebagiba)]

[2006.09.13] Miyaviuta ~dokusou~ (-やびうた-歌~独奏~)

  1. Jiko Ai, Jiganjisan, Jiishiki Kajou (instrumental) (自己愛、自画自賛、自意識過剰(Instrumental)
  2. Selfish Love -Aishitekure, Aishiteru Kara- (Selfish love -愛してくれ、愛してるから-)
  3. Please, Please, Please (プリーズ、プリーズ、プリーズ。)
  4. Dear My Love...
  5. Boku wa Shitteru (僕は知ってる。)
  6. How To Love
  7. Baka na Hito (バカな人)
  8. Kimi ni Funky Monkey Vibration (君にファンキーモンキーバイヴレーション)
  9. we love you Sekai wa Kimi wo Aishiteru (We love you ~世界は君を愛してる~)
  10. "Aishiteru" Kara Hajime You (“愛してるからはじめよう)
  11. Jiko Shijou Shugisha no Nare no Hate (instrumental) (自己至上主義者の成れの果て(Instrumental)
  12. Are You Ready To Love? (Bonus Track)
Trabalho elaborado por Lenne

Faixa 4. Miyavi | Discografia 1


Até agora contam-se 5 álbuns, 13 singles, muitos muitos muitos vídeos e diversos concertos. Aqui fica uma lista com os títulos:

Singles

[2002.11.30] Shinde mo Boogie-Woogie (
死んでもBoogie-Woogie)

[2002.11.30] POP is Dead


[2002.12.18] Jingle Bell (
ジングルベル)

[2003.16.04] Jibun
Kakumei -2003- (自分革命-2003-)

[2003.25.06] Tariraritarara
(タリラリタララ♪)

[2003.09.03] Coo quack cluck -Ku.Ku.Ru- (Coo quack cluck-
ク・ク・ル-)

[2004.06.23] Ashita, Genki
ni Naare. (あしタ、元気ニなぁレ。)

[2004.10.20] Rock no Gyakushuu -Super Star no Jouken- (
ロックの逆襲 -ーパースターの条件-)

[2005.05.04] Freedom Fighters -Icecream wo
Motta Hadashi no Megami to, Kikanjuu wo Motta Hadaka no Ousama- (Freedom Fighters -アイスクリームを持った裸足の女神と、機関銃を持った裸の王様-)

[2005.10.12] K
ekkonshiki no Uta ~Kisetsu Hazure no Wedding March~ (結婚式の唄~季節はずれのウェディングマーチ)

[2006.01.18] Señor, Señor
a, Señorita (セニョール セニョーラ セニョリータ)

[2006.04.12] Dear my friend / Itoshii hito (Dear
my friend / 愛しい人)

[2
006.07.05] Kimi ni Negai Wo (君に願いを)

Álbuns

[2002.10.31]
Gagaku(【雅楽】-gagaku-)
[2003.12.02]
Galyuu (-galyuu-)
[2005.06.01]
Miyavizm (-miyavizm-主義)
[2006.08.02]
MYVPOPS
[2006.09.13]
Miyaviuta ~dokusou~ (-みやびう-歌~独奏~)


Dvd’s


Gekokujou (1st Live Concert DVD)
Oresama (First Movie)
Hitorigei (PV Collection)

Indies Last Live In Nihon Budokan (2nd Live Concert DVD)
Noriko no Ichi (Budokan Documentary DVD)
Hitorigei (2nd PV Col
lection)
Hitorigei (3rd PV Collection)


Vhs


Shibuya Kokadi (concert)

Videoclips

Genki ni naare
Senor Senora Senorita
Selfish Love
G
irls, be ambitious
Itoshii Hito
Kimi ni Negai wo
21seikigata Koushinkyoku
Freedom Fighters
Kekkonshiki no Uta

Jib
un Kakumei
Rock no Gyakushu
Pop is Dead
Same Direction

(como são muitos fica aqui uma pequena selecção)


Photobook


[2003.19.09] Miyavi Hajime no Photo Essay Shu WAGAHAI[2004.19.10] Gakincho (ガキんちょ)

[2006.07.09] Je Vous Souhaite Un Bon Anniversaire
Japa
nese西洋かぶれ~ぶらり、みちのく一人旅IN U.S.A.













Trabalho elaborado por Lenne